Vereador Ademar cobra presença de prefeito em sessão polêmica

Na última segunda-feira, dia 10 de setembro, a sessão da Câmara de Vereadores de Palmares do Sul mais uma vez foi polêmica. Com a Casa Legislativa lotada, novamente foi discutido o projeto de lei 059/2018, do Poder Executivo, que autoriza o Poder Executivo a contratar operações de crédito com o BRDE no valor de R$ 3,5 milhões. A sessão foi presidida pelo vice Ademar Terra, que no grande expediente usou a tribuna para cobrar o prefeito.

“Mais uma vez, vamos direto ao ponto. Até agora não estou entendendo o que tanto se fala de projeto, projeto… mas onde está esse projeto? Veio um papel para a Câmara de Vereadores, na qual pode ser que não cumpra a metade do que é oferecido. Como também, outro dia, teve aqui o prefeito dizendo que ele não me chamou de mentiroso. Vou dizer, o vereador não é o mentiroso mesmo; o mentiroso de Palmares do Sul é o prefeito de Palmares do Sul. Foi covarde, ataca pelas costas, só usa os meios de comunicação. Por que não está aqui hoje? Quando ele veio aqui, falei na cara dele. Como tem bastante gente, a maioria servidor do Município, CCs, peço que transmitam para ele. Por exemplo, a Paraguassú, em Quintão, era uma grande obra; não fizeram nada, foram lá e fecharam tudo. Como que uma Câmara de Vereadores, que tem o dever de fiscalizar, vai dar um cheque assinado, em branco, para um doido que está aí, um maluco, cassado, que não respeita ninguém, que promete iluminação para Quintão e não tem um bico de luz. Como é que as pessoas vão ter incentivo para pagar IPTU se pagam a taxa de iluminação e não se tem lâmpadas pelas ruas de Quintão. O Posto de Saúde fecha às 18h. O asfalto do Quintão, cadê? Tava no papel e ninguém fala. É uma vergonha o Quintão. Qual é o investimento que tem lá? Cheio de buracos, as pessoas precisando de remédios. As pessoas gastam dinheiro do seu bolso, porque recebem um não do Executivo, não tem medicação. E como se resolvesse isso?! É simples; bota um farmacêutico, concursado, que custa bem pouco para o Município. Quem vai buscar remédio é porque precisa, está doente, idosos; ninguém quer passear, sofrendo. O Posto da Avenida Brasil, a Prefeitura pegou uma emenda, fez a obra e não zelou por aquele patrimônio; que está lá, abandonado, todo destruído.

Como vou votar a favor de um papel que não é projeto? Se preocupam em fazer embelezamento de uma rua que não é necessário. Por que o prefeito não desmembrou o projeto e fez só o que é necessário, urgente? Cadê o prefeito dessa cidade, que vai para as rádios incentivar o ódio? Cadê o prefeito que não quer ouvir todos os vereadores; escolhe a dedo? Cadê o prefeito, que mente? Diz que o projeto tinha prazo. Que prazo?

Um pedido meu não é para mim, é para as pessoas do Quintão que estão sofrendo. Não precisa de milagre, precisa de uma pessoa que entenda que o balneário precisa de investimentos. E a culpa na grande parte não é dos secretários; é do prefeito, é ele que determina. O prefeito tinha que ouvir a voz do povo, e nós representamos a voz do povo. Custa ouvir? Queremos ver a cidade crescer, a praia crescer, peço muita coisa toda semana. Mas de nada adianta porque ele não quer colaborar. Deixo um questionamento: a fatia do bolo é sempre pequena para Quintão. Por que sempre tem uma promessa para Quintão e nunca é cumprida?”, cobrou o vereador Ademar Terra.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *